Novidades

Produtos Importados x Produtos Nacionais

Em uma economia de livre comércio, tanto os produtos nacionais como os produtos importados convivem normalmente, pois apenas desta forma o mercado consumidor conseguirá ser plenamente atendido, já que apenas as indústrias locais não conseguem atender de forma eficiente toda a demanda do mercado interno, com uma gama tão diversificada de produtos a preços competitivos.

Sem os produtos importados, a tendência é que o consumidor vai comprar produtos mais caros, muitas vezes com menor nível de tecnologia ou até mesmo de menor qualidade.

Sem os produtos importados, grande parte da indústria nacional não vai investir em inovação, em desenvolvimento de novos produtos, não vai planejar corretamente seus custos e talvez não tenha interesse em exportar seus produtos, pois o mercado local será mais atrativo, está sendo protegido e também remunera melhor (possibilita praticar preços mais altos).

Quanto mais protegida a economia de um país, maior será a tendência das empresas não exportarem e serem menos eficientes no mercado internacional e quando acontece uma abertura rápida do mercado, as empresas normalmente levam um choque e sentem-se incapazes de competir tanto a nível local como a nível internacional.

Conseguimos perceber nitidamente o problema dentro das indústrias e empresas brasileiras quando o assunto é a exportação.

Poucas empresas estão realmente preparadas, capacitadas e estruturadas para exportar de forma eficiente, poucas delas possuem profissionais realmente qualificados na área de exportação e poucas delas possuem produtos adaptados às exigências do mercado internacional.

Muitas vezes as empresas reclamam do governo ou reclamam dos produtos importados, mas esquecem dos problemas que ocorrem internamente e que elas mesmas não percebem que existem.

Alguns exemplos recentes que demonstram a falta de capacitação profissional dentro de grandes empresas brasileiras que atuam na área de comércio exterior, como o caso de uma empresa onde o principal responsável pelo setor de exportação não conhece nada de comércio exterior e nem sabe o que são os incoterms, outro caso de uma empresa que tem custos altíssimos no processo de importação e nem sabe porque tem que pagar por estes custos, o caso de vários produtores brasileiros de produtos agrícolas que não sabem como responder e oferecer uma cotação em dólár para os produtos que um comprador Argentino deseja importar, como no caso de funcionários de empresas que participam de feiras de negócios no exterior e não levam lista de preços, não levam catálogo de produtos e não falam bem o idioma inglês.
« Voltar